quarta-feira, 9 de março de 2011

Comissão de Utentes da Via do Infante marca dois protestos




A Comissão de Utentes da Via do Infante e o movimento Não às Portagens na A22 estão a organizar dois protestos e esperam superar a contestação que reuniu, em 2004, no Algarve, diversas entidades e milhares de automobilistas.

Em declarações à agência Lusa, João Vasconcelos, da Comissão de Utentes da Via do Infante, explicou que os protestos agendados para os dias 19 de Março e 8 de Abril estão a ser organizados em parceria com o movimento, mas espera poder contar com o apoio de outras entidades da região e da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL).
João Vasconcelos disse que a AMAL irá reunir-se no dia 14 para tomar uma decisão, acrescentando que a Comissão de Utentes da Via do Infante tem contactado com condutores e camionistas.

A Comissão de Utentes irá também reunir-se com o Motoclube de Faro, esperando uma adesão muito grande, com hipótese de superar a de 2004.

Contactado pela Lusa, o presidente da AMAL e da Câmara e Faro, Macário Correia, disse que "para já, esta iniciativa é apenas uma proposta de uma entidade e que não foi previamente concertada" com a plataforma contra as portagens na A22, que reúne a Comissão de Utentes, a Comunidade Intermunicipal, cinco associações empresariais do Algarve e duas estruturas sindicais.

Fonte: Correio da Manhã

2 comentários:

  1. Pelas palavras de Macário cheira a debandada. No final das contas vão ver. Ninguém dos nossos lindos políticos locais vai querer dar a cara.Manuel da Luz que entrou de peito feito nesta luta, não se tem ouvido. Compreendo. Terá mais em que pensar. Coisas mais graves e mais importantes. Ainda hoje fui de Portimão a Olhão pela A22. Lá andam eles a montar as futuras portagens. Típico deste governo. entretêm por um lado, dando a sensação que algo pode ser discutido, enquanto que à má fila, vão espetar com portagens em Abril, sem apelo nem agravo.
    A grande questão que se coloca é o que fazer no dia seguinte ao protesto? Penso que o protesto não vai causar grande efeito. Só o número de pessoas não chega. Há que causar o maior impacto possível, por outras vias. Sobressalto cívico, parafraseando o Presidente da República (discurssinho lixado para o Governo aquele de ontem...)é o que precisamos, também em matéria de portagens. Direito à indignação parafraseando Mário Soares, também dava jeito que fosse exercido e o mais rapidamente possível.

    ResponderEliminar
  2. Atiram-nos areia para os olhos é o que é.
    Distraem-nos e depois dão-nos a ripada.
    Estes tipos sabem-na toda.
    No sabado dia 12 pode ser que se enganem.

    ResponderEliminar