domingo, 21 de outubro de 2012

Artigo publicado no Barlavento, ao agrigo do Direito de resposta, pela Presidente da Junta de Freguesia de Portimão


«Freguesia de Portimão preocupada com associativismo local»


Exmº. Senhor Diretor A Junta de Freguesia de Portimão vem, ao abrigo do direito de resposta, solicitar os seus bons ofícios no sentido de mandar publicar o texto em anexo em esclarecimento do artigo de autoria de António Vitorino Pereira, publicado no vosso jornal de 11 do corrente mês.

«Freguesia de Portimão preocupada com associativismo local»

Em artigo, com o título supra, veio um funcionário superior da Câmara Municipal de Portimão, de seu nome António Vitorino Pereira, insurgir-se com questões menores da política ou mesmo de aspetos periféricos da mesma, a pretexto da publicação de um artigo da autoria de um colaborador do jornal Barlavento, alusivo à iniciativa da Junta de Freguesia de Portimão, de promover um Colóquio de incentivo ao associativismo das gentes grandes da nossa terra, que a ele dedicam, abnegadamente, uma parte significativa das suas vidas.

Sendo este o conteúdo forte do artigo, vem, no entanto, o referido senhor conferir centralidade indevida a tais aspetos menores, referindo-se, em tom crítico, a virtual falha da Presidente de Junta, invocando que a mesma não teria estado à altura das críticas proferidas, não esclarecendo que «não convidou qualquer técnico» para o ato.

Estas observações despropositadas têm ainda como antecâmara um conjunto de insinuações tão genéricas quanto imprecisas, que não se percebe a quem se dirigem e, consequentemente, a quem elas poderão aproveitar. Visa, em todo o caso, exorbitar na crítica ao poder político, na condição de diretor de departamento, pelo que veja nisso plausível gravidade quem de direito.

De forma frontal e esclarecida a Junta informa o que tem por conveniente na matéria:
Não querendo avançar muitas mais considerações adicionais à clara exorbitação de funções do referido senhor, impõe-se que a Junta esclareça que ações desta natureza, como Colóquios, Conferências, ou outros, de natureza pública e entrada livre têm como convidados todos os munícipes, como uso efetivo de um direito de cidadania ativa, pelo que o referido senhor não é exceção. Dai que nenhum cidadão careça de convite para estar presente nos referidos atos.

Já no tocante a convites oficiais, nunca a Junta de Freguesia de Portimão deixou de pugnar pelo convite ao elenco Municipal, como é seu gosto institucional e seu dever protocolar, pelo que a titularidade da representação autárquica dos técnicos superiores da
Câmara, ou de qualquer outro nível, por certo que se colocará sempre e só que a edilidade se faça representar por eles.

Assim, num quadro de completo respeito pela autonomia de cada instância autárquica e não tendo a Junta que se imiscuir, a qualquer título, nos assuntos internos da Câmara, não lhe compete esclarecer ausências ou convites a funcionários da mesma, pelo que dispensa a distorcida eloquência de António Vitorino Pereira.

Numa coisa estamos de acordo: as grandes pessoas discutem ideias e projetos; as outras discutem minudências.

Ana Figueiredo
Presidente da Junta de Freguesia de Portimão

Fonte: Barlavento Online


Technorati Tags: Junta de Freguesia de Portimão, Portimão Sempre.

Sem comentários:

Enviar um comentário